Capítulo do Livro: Apenas Uma Vez

22/04/2017

                                           1° Capítulo do livro  

Helena

Era para ser uma viagem épica, nem sei como consegui autorização dos meus pais para fazer essa jornada com meus amigos. Enfim o que interessa é que estou no aeroporto de Guarulhos nesse exato momento embarcando com meus colegas do último ano do ensino médio, a coordenadora da escola, a professora de História e ainda a mãe da minha melhor amiga. Estávamos todos indo passar 10 dias, na cidade do pecado, Las Vegas.

É isso mesmo pessoal acreditem estou indo para Vegas numa viagem de Formatura, não é o máximo? E ainda tem mais, o meu "crush" desde o começo do ano está indo também. Vocês podem imaginar a minha ansiedade para embarcar logo nessa viagem que promete mudar totalmente a minha vida.

Talvez vocês achem que estou apostando tudo numa simples viagem de formatura, mas não é nada disso, nunca viajei sozinha sem os meus pais, nunca namorei ninguém, é claro que já fiquei com um garoto numa festa da escola, mas não é como namorar. Sem contar que eu estava tão nervosa que foi um fiasco total, trocamos alguns beijos num lugar escuro da festa e depois cada um seguiu o seu caminho.

Sempre gostei muito de estudar, então acabava trocando as festas e baladas para ficar em casa estudando, confesso que meus pais ajudaram muito nesse aspecto. Já que nunca me deixaram sair de casa, pois sempre que peço é um interrogatório sem fim e acabo desistindo, ter um pai juiz e uma mãe médica não é fácil sem contar no meu irmão Tiago que quase não sai da minha cola, a minha sorte é que agora ele está fora de casa na faculdade de direito e não tem mais tempo de pegar no meu pé.

Quando estudamos na mesma escola, nenhum menino se aproximava de mim com medo do meu irmão, mas aí vocês me perguntam como eles deixaram a filha caçula viajar sozinha para Las Vegas, acontece que com apenas 17 anos passei em primeiro lugar em Medicina numa das melhores universidades do país, sendo assim meus pais não poderiam me negar uma viagem de Formatura. E eu iria aproveitar esse momento de liberdade até o último segundo.

─ Olha ali Helena. ─ A minha amiga toca meu ombro para chamar a minha atenção. ─ A oferecida da Rafaela sentada do lado do Pedro. Aquela menina não perde tempo mesmo e só falta sentar no colo dele.

─ Como você é exagerada Gabi, espere um pouco. Eu odeio admitir, mas a minha amiga dessa vez tinha razão, aquela debochada da Rafaela estava se jogando em cima do Pedro.

Tenho que reconhecer que é muito difícil ficar perto dele sem perder a fala, ele é simplesmente perfeito, sabe aquele "crush" que comentei agora a pouco, então é ele. Acho que eu e todas as garotas da escola estão apaixonadas por esse garoto, por isso mesmo estando numa viagem juntos, acho impossível ele me notar, não que eu seja muito feia não, na verdade sou até bonitinha, mas nunca trocamos uma palavra se quer, ele nunca nem reparou que eu existo.

Não sei o que acontece comigo, os caras até me olham de um jeito diferente quando passo na rua, os garotos da escola comentam algo quando eu ando pelos corredores, mas é só isso. Acho que agora vocês entendem a minha necessidade de fazer algo novo nessa viagem.

─ Helena acorda, eu estou falando com você. Minha amiga começa a acenar com as duas mãos na frente do meu rosto chamando a minha atenção.

─ Nossa desculpe Gabi, eu estava pensando em outra coisa, totalmente distraída.

─Eu sei bem em que você estava pensando, ou melhor, em quem? Ela fala e olha algumas poltronas a frente, onde o Pedro está sentado.

Eu fico vermelha da cor de um tomate, por ser pega no flagra olhando para o garoto até tento negar o que aparentemente é obvio para ela.

─ Não é nada disso que você está pensando Gabi. Eu digo olhando para a janela do avião, quem sabe se eu negar bastante, ela acaba acreditando em mim.

─ Eu não estou pensando em nada nesse momento amiga, você pode ficar tranquila meus pensamentos são os mais puros possíveis. Ela diz revirando os olhos e fazendo o sinal da cruz com os dedos.

─Não precisa exagerar, na verdade você está cansada de saber que eu adoro o Pedro, acho que até ele sabe disso de tanto que não tiro os olhos dele, só que agora eu já cansei de ficar esperando ele me notar, estou partindo para outra, vou procurar um gringo e me divertir muito em Vegas.

─ É isso ai amiga! É agora que você vai tirar todo seu atraso, pegar todos os gringos que passar pela frente e ainda deixar aqui sua virgindade. Ela fala tão alto que até as pessoas que estão sentadas do outro lado, começam a rir da minha situação.

─ Não é para tanto Gabi, eu ainda não sou louca como você, que conhece um carinha no dia e no outro já vai para cama com ele. Eu já te falei muitas vezes, vou esperar o cara certo aparecer para isso e com certeza não vai ser na primeira noite. Eu falo baixinho apenas para a minha amiga ouvir, já que depois que ela elevou seu tom de voz para contar sobre a minha vida sexual, todos os passageiros estão atentos a nossa conversa.

─ Por Favor, não diga que vai transar só quando se casar? Ela pergunta indignada acho até que o avião inteiro escutou o que ela disse.

─ Fala mais baixo amiga. Todos os passageiros não precisam saber sobre a minha vida sexual. Eu resmungo chateada com a minha amiga, por expor a minha vida assim dentro de um avião.

─Tudo bem Helena, desculpe não era a minha intenção, mas você me tira do sério com essa conversa de virgem "forever". Ela diz arrependida.

─ Não é para sempre Gabi, nem vou esperar um casamento, nem o príncipe encantado, só quero que seja com o cara certo. Digo já cansada de sempre ser julgada por não querer sair com qualquer cara.

─ É claro que entendo, mas como você vai achar o cara certo se você nunca se arrisca? Ela me questiona e agora com toda razão, já que nunca faço nada por impulso, eu sempre penso muitas vezes, antes de tomar qualquer decisão, talvez agora seja a hora de mudar, um pouco essa atitude.

─ Pode deixar amiga, dessa vez eu vou correr meus próprios riscos. E devo confessar que serão muitos, eu prometo. Eu digo sorrindo e olhando enquanto nosso avião sobrevoava o aeroporto de Vegas.

─ Eu pago para ver. Ela diz sorrindo e me encarando por uns segundos, para descobrir se eu realmente estou falando a verdade.